Aulas

Índice Bovespa (Ibovespa): O que é e como funciona?

O Ibovespa (IBOV), ou Índice Bovespa, é um índice de referência (benchmark) do mercado de ações brasileiro. O Ibovespa é o índice de ações mais importante do Brasil e é uma média ponderada de diversos ativos que resultam em uma carteira teórica de ações negociadas na B3 (Bolsa de Valores do Brasil).

Este índice foi criado em 1968 e, ao longo de sua história, teve sua metodologia de cálculo modificada uma única vez. O Ibovespa é reavaliado a cada quatro meses de acordo com sua metodologia e corresponde a cerca de 80% do número de negócios e do volume financeiro do mercado de capitais brasileiro.

O Ibovespa tem como critério o retorno total das ações, o que significa que ele reflete as variações dos ativos ao longo do período mais a distribuição de proventos (dividendos, JCP e bonificações) das empresas que compõem a carteira teórica.

Por ser um indicador médio de retorno dos ativos mais negociados e importantes do mercado de ações brasileiro, o Ibovespa tornou-se a referência de rentabilidade para diversos fundos de investimento em ações e, também, para o desempenho da bolsa como um todo. Em diversos países, os índices de ações acabam refletindo o desempenho da economia.

Você pode perceber como nos jornais o desempenho da bolsa é resumido como a variação do Ibovespa. Entretanto, algumas ações podem andar mais ou menos coladas no índice e a esse fenômeno damos o nome de correlação.

O índice Bovespa tem algumas particularidades, por exemplo, ele costuma ser no Brasil muito concentrado em algumas empresas e, por isso, muitos criticam sua confiabilidade como bom indicador do mercado brasileiro.

Qual é a metodologia do Índice Bovespa?

O Ibovespa é composto por ações (e units) exclusivamente de ações de companhias listadas na B3, que atendem aos critérios de inclusão de sua metodologia. Os BDRs e ativos de companhias em recuperação judicial ou extrajudicial ou em qualquer outra situação especial de listagem, não são elegíveis para compor o índice.

Dentre os ativos elegíveis, eles precisam atender cumulativamente aos seguintes critérios:

  • Estar dentro, em ordem decrescente do índice de negociabilidade (IN) representando em conjunto 95% do somatório total desse indicador, no período de vigência das três últimas carteiras;
  • Ter presença em pregão de 95% no período de vigência das três últimas carteiras;
  • Ter participação em termos de volume financeiro maior ou igual a 0,1%, no mercado a vista, no período de vigência das três últimas carteiras;
  • Não ser classificado como Penny Stock, ou seja, negociar abaixo de R$1,00;

Além disso…

  • Os ativos são ponderados pelo valor de mercado do free float, com limite de participação baseado na liquidez;
  • Um ativo não poderá ter participação acima de 20% do índice.

ETFs (Exchange Traded Fund)

Os índices também podem ser negociado através de um ETF. Este instrumento nada mais é que um fundo negociado em bolsa, que compra uma cesta de ações, na mesma proporção que o índice de referência. O ETF vai buscar seguir o mesmo retorno do índice de referência.

Ao comprar o ETF, o investidor passa a deter, indiretamente, todas as ações da carteira teórica do índice, sem ter que comprá-las separadamente. Esse processo torna muito mais barato para o investidor diversificar a sua carteira de ações, sem precisar gastar muito com corretagem em diversas operações, além de ser muito mais rápido.

Os ETF's cobram uma pequena taxa de administração, muito menor que os fundos tradicionais de ações. O motivo? São fundos que acompanham o índice, ou seja, possuem uma gestão passiva e, por isso, não necessitam de muito capital humano, podendo cobrar taxas mais baixas. Entretanto, nos índices de referência o seu ganho nunca será diferenciado do mercado.

O ETF que replica o Índice Bovespa é o iShares Ibovespa Fundo de Índice, negociado pelo ticker de BOVA11.

Composição atual da carteira – 22/05/2020

A composição da carteira Ibovespa atualmente é concentrada em bancos e empresas de commodities, com peso grande de empresas estatais. A composição atual conta com:

  • Mineração: VALE3 (11,142%);
  • Financeiro: ITUB4 (7,325%); B3SA3 (6,045%); BBDC4 (5,380%); ITSA4 (2,681%); BBAS3 (2,723%);
  • Óleo e gás: PETR4 (5,682%) ; PETR3 (3,877%);
  • Bebidas: ABEV3 (3,442%);
  • Alimentação: JBSS3 (2,253%);
  • Varejo: MGLU3 (2,569%);

A soma dessas 11 ações apenas, compõem 53,39% do índice. E essas 11 ações representam apenas 10 empresas, uma vez que cada empresa pode ter mais de um ticker (código que representa a ação da empresa).

Outros índices de mercado

Outros índices famosos do mercado são:

  • IDIV: Índice de Dividendos, composto pelos ativos que mais se destacam em termos de remuneração dos investidores, sob a forma de dividendos e juros sobre o capital próprio;
  • SMLL: Índice Small Cap, composto pelas empresas de menor capitalização.
  • IBrx 50: Índice Brasil 50, composto pelos 50 ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro;
  • IBrx 100: Índice Brasil 100, composto pelos 100 ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro;