Aulas

Como escolher as melhores empresas para investir

Investir em ações certamente não é uma tarefa fácil. Além de estar exposto a diversos riscos, o investidor se torna dono de parte de uma companhia, adquirindo algumas responsabilidades. Mas, afinal, você sabe quais são as melhores empresas para investir?

Existem diversos fatores que podem indicar a saúde de uma empresa, entre eles o preço das suas ações dentro da B3 (Bolsa de Valores). As ações são pequenas parcelas representativas de uma empresa — quanto maior o seu valor, mais valorizada ela está.

As negociações no mercado de ações despertam o interesse de muitos investidores que buscam altas rentabilidades. No Brasil, as ações são negociadas pela B3, que garante a regulamentação e a segurança das operações. Confira abaixo dicas de como escolher as melhores empresas para investir.

Saiba qual é o seu perfil de investidor

Para você saber quais as melhores empresas para investir, você precisa entender o seu perfil de investidor, que é dividido em três categorias: conservador, moderado e arrojado (ou agressivo).

Os perfis moderado e arrojado são tipos de investidores mais adeptos das aplicações ditas mais arriscadas do mercado, ou seja, as ações. O mercado de ações oferece a quem investe um dos melhores potenciais de lucratividade do mercado.

Além da definição do perfil de investidor, outro aspecto que deve ser levado em consideração para escolher empresas boas para investir é o tempo que o investidor tem atuando no mercado financeiro, assim como a sua educação financeira.

Defina o tipo de empresa para investir

Outro ponto-chave na escolha da melhor empresa para investir é na definição do tipo de companhia, que são divididas pelo seu faturamento. Geralmente elas são separadas pelo seu porte em três categorias. Veja:

  • MEI (Microempreendedor individual): faturamento anual de até R$ 81 mil;
  • ME (Microempreendedor): faturamento bruto anual de até R$ 360 mil,
  • EPP (Empresa de Pequeno Porte): faturamento bruto anual entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões.

Além dessa divisão tradicional, existem outras modalidades de empresas que, além do faturamento, levam em consideração o seu valor de mercado. Confira quais são elas:

Blue Chips

As Blue Chips geralmente são ações de grandes companhias, com nome e negócio já consolidados.  Elas são consideradas empresas de mais sólidas e com menos potencial de variação no curto prazo, normalmente são líderes em seus setores ou mesmo donas de monopólios.

No Brasil, as Blue Chips são consideradas grandes empresas e com alto giro em suas negociações. Normalmente, essas empresas fazem parte do índice Ibovespa, uma espécie de lista das ações mais negociadas em volume e negócios.

Small Caps (SMLL)

É o índice usado para as menores empresas, mas que possuem um alto potencial de crescimento. Geralmente essas companhias possuem ações com menos liquidez, ou seja, menos investidores interessados em comprar e vender as suas ações, por isso o risco é maior do que as Blue Chips que têm muito mais negócios e torna mais fácil comprar ou vender uma ação dessas empresas. Os seus potenciais são refletidos no crescimento contínuo da receita ao longo dos anos.

High Grow

High Grow ou, na tradução livre para o português, alto crescimento, é o termo em inglês usado para definir empresas com grande potencial de crescimento no mercado. Geralmente, elas são de pequeno porte, mas nos últimos anos apresentaram altos índices de faturamento, ou seja, premissa de crescimento.

Presentes em áreas de inovação, como startups de tecnologia, as High Grow têm estado na lista dos investidores entre as empresas mais cobiçadas para investir na bolsa, devido à euforia gerada pelas novidades que apresentam ao mercado e os potenciais retornos acima da média. No entanto, podem ser empresas que operam com resultados negativos por anos, gastando pesado em inovações e expansão da base de clientes.

Empresas Pagadoras de Dividendos

Além dos tipos que citamos, existem as empresas pagadoras de dividendos, ou seja, aquelas que distribuem os lucros aos seus acionistas. Em geral, elas já são consolidadas em sua área de atuação e não possuem mais setores onde investir.

Esse é um investimento muito buscado, devido aos pagametos periódicos em forma de dividendos que caem na conta dos investidores. No Brasil, as empresas listadas em Bolsa de Valores possuem a obrigação de pagar no mínimo 25% do seu lucro líquido aos acionistas, diferente dos EUA, por exemplo, em que não há essa obrigação.

Setores de empresas para investir

Por último, busque conhecer os vários tipos de setores disponíveis no mercado. É importante que você conheça e entenda como o setor reage de acordo com a situação econômica atual do país.

A Bolsa de Valores divide as empresas em vários setores, veja quais são eles:

  • Bens industriais;
  • Comunicações;
  • Consumo não cíclico;
  • Financeiro;
  • Consumo cíclico;
  • Materiais básicos;
  • Petróleo, Gás e Biocombustíveis;
  • Saúde;
  • Tecnologia;
  • Utilidade pública,
  • Outros.

Empresas na Bolsa de Valores

Para começar a investir na Bolsa de Valores é importante entender o que é uma empresa, porque as ações são, basicamente, pedaços de empresas. Quando você compra uma ação, se torna sócio direto ou indireto de uma empresa, entao agora você já sabe os tipos de empresas que existem para escolher a que mais faz sentido para o seu perfil e objetivos!

Gostou dessa aula? Compartilhe com seus amigos através dos botões abaixo em suas redes sociais e os ajude a aprender também!