Aulas

Perdi o Emprego, e agora? Veja 7 Dicas para Sobreviver

“Perdi o emprego, e agora?”. Essa pergunta tem assombrado milhares de brasileiros que não imaginavam que 2021 continuaria a ser um ano atípico. A chegada do pandemia, em 2020, impôs ao mundo mudanças profundas de comportamento e hábitos. E, mais: apresentou o desafio de viver com menos ou, até mesmo, sem nada. Perdeu o emprego e quer saber como sobreviver, mesmo com o dinheiro curto? Confira as dicas que nós, da escola Criando Futuro, preparamos para você.

Perdeu o emprego? Você não está só

A notícia não é animadora. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil terminou o ano de 2020 com 13,4 milhões de pessoas na fila do desemprego. Esse foi o maior índice de desemprego desde o início da apuração, em 2012. Um dos motivos para inflar esse número foi o fechamento de estabelecimentos comerciais por meio de decretos dos governos estaduais e municipais, devido a autorização concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) aos governadores e prefeitos para realizar essas medidas em meio a pandemia.

Se você é uma das pessoas que foi impactada por esses decretos, saiba que não está sozinho e que enfrentar a falta de dinheiro por conta do desemprego já é, infelizmente, a realidade de muitos brasileiros.

Com algumas dicas e muita adaptação é possível passar por esta fase de maneira menos traumática. Se você não sabe o que fazer após perder o emprego, confira sete estratégias que poderão contribuir neste momento.

7 Dicas para Sobreviver após perder o emprego 

A primeira orientação, caso você esteja enfrentando o desemprego neste momento, é procurar manter a calma e buscar soluções práticas e, assim, conseguir manter as necessidades básicas. Abaixo, listamos as 7 dicas essenciais que poderão ser úteis para quem precisa sobreviver após perder o emprego - vale também para se programar, antes que isso aconteça com você.

1. Escolha o que pagar

Parece estranho, mas em um momento tão delicado como o de uma pandemia, escolher quais contas você não irá pagar é recomendável. Luz e água, por exemplo, estão sendo mantidas, mesmo sem o pagamento das faturas. É uma alternativa do governo para manter ao menos o básico disponível para a população neste momento atípico de crise. Tudo está em constante modificação. Então, fique de olho nas notícias para saber as medidas econômicas aprovadas que podem ajudar suas finanças, como o auxílio emergencial

2. Cuidado com o consumismo

Mesmo desempregadas e passando por momentos desafiadores, muitas pessoas tem dificuldade para deixar de fazer compras online. O comércio precisa continuar, então o apelo comercial para compras com descontos e promoções estão a todo vapor. Fique de olho para não cair em cilada e comprar um produto tentando suprir uma necessidade emocional. 

3. Atenção com a comodidade de compras por aplicativos 

Muitas pessoas tem o privilégio de poder ficar apenas em casa, seja trabalhando em home office, seja porque possuem alguma renda que não depende de um emprego. Com essa informação, as compras de supermercado, farmácias e fast food aumentaram consideravelmente no período inicial da quarentena. Mas atenção: a comodidade tem um preço. Os aplicativos costumam cobrar, além de frete, taxas para o funcionário que seleciona os seus produtos nos estabelecimentos comerciais.

4. Exercite o desapego

Viver com menos já era tendência do minimalismo. Agora, com o coronavírus e a quarentena, muitas pessoas estão refletindo sobre como a família, a fé e as experiências podem ser mais importantes do que adquirir objetos e produtos. Que tal aproveitar o momento e vender pertences que estão na sua casa e que estão acumulando poeira na sua casa?

Além de fazer uma limpeza no ambiente, ainda é possível conseguir arrecadar um bom dinheiro com esses objetos. Aproveite as redes sociais e a internet para anunciar os produtos que estão parados, em sites como Mercado Livre, OLX e Enjoei.

5. Faça cursos gratuitos

A pausa no mercado de trabalho formal com a demissão não quer dizer que você não precisa mais prestar atenção a seu currículo. Aproveite parte do tempo que usava para trabalhar para estudar. Assim, quando essa crise acabar, você terá um diferencial para expor nas entrevistas de emprego e é possível conseguir até mesmo uma colocação em uma posição mais alta do que a que tinha antes.

Existem inúmeras plataformas de ensino online. Inclusive, nós temos um Treinamento de Educação Financeira que é totalmente online e gratuito. 

6. Reduza suas despesas 

Unir a família e cortar gastos é fundamental. Não é o momento para luxo ou escolha de marcas mais caras. O básico é o mais importante. Você pode, por exemplo, suspender pacotes de TV a cabo e reduzir os pacotes de telefone e internet. 

7. Renegocie dívidas

Além de consultar os bancos para entender as possibilidade de adiamento de pagamento de alguns tipos de financiamento, verifique como renegociar dívidas. Analise individualmente cada caso e, se possível, suspenda o pagamento ou renegocie as prestações.

Você gostou das estratégias que listamos para ajudar a passar pela crise? Compartilhe este conteúdo com quem também perdeu o emprego e está sem renda neste momento. Basta usar os botões abaixo e ajudar mais pessoas através das suas redes sociais.