Calcular a rentabilidade é algo fundamental para você saber se fez um bom investimento ou não. No entanto, é comum que na hora de fazer esse cálculo, muitas dúvidas apareçam. Afinal, a corretora ao oferecer um produto de investimento, preocupa-se em apresentar a maior rentabilidade esperada e, ainda, deixa de esclarecer quais taxas influenciam o ganho real e os custos que o investidor arca sobre o lucro.

E, sim, é dever do investidor entender os valores, rendimentos e gastos dos investimentos. Essa responsabilidade é de quem aplica o dinheiro.

Quer descobrir se valeu a pena determinada aplicação? Confira nessa aula e aprenda como calcular a rentabilidade de qualquer investimento.

Por que calcular a rentabilidade do investimento?

É muito comum compararmos diversas opções de investimentos antes de investir (ou, pelo menos, você deveria fazer assim). Mas e o que acontece ao longo do tempo? Qual é o cenário de ganho mensal e anual? Você conseguirá resgatar na data determinada com a rentabilidade que precisa? Se você tem as respostas para estas perguntas, certamente pode calcular a rentabilidade desse investimento.

Calcular a rentabilidade do investimento é essencial para você determinar uma possível realocação do dinheiro, aplicar mais naquele investimento, continuar ou mudar de corretora de valores. Enfim, você terá todo o controle em mãos para saber se está aproveitando as melhores oportunidades naquele investimento.

Podemos afirmar que a maioria das pessoas não calcula a rentabilidade real para apurar o lucro verdadeiro. Muitas vezes o banco, a corretora, ou o gestor do fundo de investimentos apresentam estes dados e, nesse contexto, vale lembrar que são raros os investimentos que variam de forma exatamente igual todos os meses.

Nos casos em que o cálculo fica por conta do investidor, ninguém se dá ao trabalho de calcular a rentabilidade e acaba sem saber quanto de dinheiro o investimento gerou a mais do que outros.

Calcular a rentabilidade envolve o tempo de investimento, o risco e algumas variáveis, como os impostos. Somente dessa forma você terá os números para tomar uma decisão que faz sentido.

O que é Rentabilidade do Investimento?

Vamos supor dois investimentos: um que rende 10% e outro 15%, qual você prefere?

Imaginando que ambos possuem todas as características iguais, o de 15% seria a escolha mais óbvia, certo? Mas e se o investimento de 10% durar apenas 7 meses e o de 15% durar 13 meses? Veja que, com uma duração diferente, não é tão certo qual o investimento que deve ser escolhido.

Na prática, existem algumas maneiras de calcular a rentabilidade do investimento. E a melhor para ensinarmos é calcular através dos juros compostos, pois é como a maioria dos investimentos rendem.

É normal ter dificuldade no assunto, principalmente por envolver cálculos matemáticos, por isso, preste atenção nessa aula para aprender tudo sobre os juros compostos.

E, antes de partirmos para a prática, vou ensinar os conceitos de rentabilidade para ajudar a calcular corretamente.

Rentabilidade real

A rentabilidade real é encontrada ao realizar o cálculo de rentabilidade e, a partir do resultado, descontar a inflação. Isso é essencial para qualquer investimento, uma vez que a inflação influencia no poder de compra de todos nós.

Você deve ouvir bastante sobre a rentabilidade real quando o assunto é poupança, porque essa aplicação vive perdendo para a inflação em períodos de descontrole fiscal. Para entender melhor essa história, veja sobre os 10 anos que você perde dinheiro e não sabia e depois volte para essa aula.

Rentabilidade anual e mensal

Investimentos que rendem de acordo com taxas como o CDI,  que é o caso do Tesouro Selic, apresentam diferentes rendimentos mês a mês. Sendo assim, a rentabilidade total do ano será diferente da rentabilidade mensal.

Dentre os títulos públicos, por exemplo, existem os pós-fixados e os prefixados, ou seja, alguns você sabe quanto renderá anualmente e outros onde só é possível estimar.

Diferenças entre Lucratividade e Rentabilidade

É importante que você não confunda o lucro com o rendimento. O lucro é o dinheiro que cai na sua conta, enquanto o rendimento é o percentual que seu patrimônio aumenta em um determinado período. Nos investimentos, por exemplo, é mais comum falarmos de rentabilidade, porque o lucro vai depender de quanto dinheiro você aplica.

Como calcular a rentabilidade do investimento (na prática)

Agora que já expliquei os conceitos, vamos para um exemplo prático:

Pedro realizou um investimento que durou 3 anos e rendeu +10% no primeiro ano, -13% no segundo e +17% no terceiro. Qual foi sua rentabilidade?

Utilizando a técnica de juros compostos, temos:

(1+0,10)*(1-0,13) x (1+0,17)^(1/3 anos) = 1,038

Convertendo o resultado para porcentagem:

(1,038 – 1) x 100 = 3,8% ao ano.

Como seria este exemplo em dinheiro, em vez de %?

Supondo que o seu investimento foi de R$ 1.000, seria:

  • Ano 0: R$ 1.000
  • Ano 1: R$ 1.100 = ( 1000 x (1 + 0,10))
  • Ano 2: R$ 957 = ( 1100 x (1 – 0,13))
  • Ano 3: R$ 1.119,70 = (957 x (1 + 0,17))

Ou seja, após 3 anos você ganhou R$ 119,70.

E você também pode calcular a rentabilidade anual do seu investimento:

(R$ 1.119,70 / R$ 1.000)^(1/3 anos) = 1,038

Convertendo o resultado para porcentagem:

(1,038 – 1) x 100 = 3,8% ao ano.

Pronto. É bem simples, não é?

Agora que você aprendeu, já pode comparar vários investimentos com prazos diferentes e decidir qual é o melhor.

Quer uma vida financeira melhor? Matricule-se agora no Treinamento de Educação Financeira.

Informe o seu e-mail abaixo para garantir sua vaga, você terá uma surpresa.

Outros Cálculos de Rentabilidade

No exemplo que estudamos acima, consideramos um investimento que não pagou juros ao investidor, ou seja, a pessoa colocou o dinheiro lá e só retirou três anos depois. Isso foi proposital para facilitar o cálculo e deixar o exercício mais compreensível.

No entanto, ao calcular a rentabilidade do investimento, o processo pode ficar mais complexos conforme vamos adotando períodos diferentes (por exemplo, 3 anos e meio) e, principalmente, quando ocorre o pagamento de juros antes do vencimentos.

Nestes casos precisamos usar técnicas que, apesar de dar mais trabalho, valem a pena. E é possível usar as planilhas de Excel para montar os cálculos rapidamente.

Espero que essa aula tenha ajudado você. E qualquer dúvida é só deixar um comentário aqui embaixo!

Bruno Papi

Investidor desde 2011 na Bolsa de Valores, fundador do site General Investidor e co-fundador do Criando Futuro. Bacharel em Sistemas de Informação, MBA em Gestão de Projetos e cursando pós-graduação em Finanças, Investimentos e Banking pela PUCRS. Já concedeu mais de 50 entrevistas em diversas mídias, além de palestrar em empresas e universidades sobre investimentos.