Essas palavras estão por todos os cantos agora, dos jornais televisivos até os blogs que abordam investimentos, muita gente está falando sobre a Educação Financeira, mas pouca gente ainda conhece esse termo.

Vamos explicar o que isso significa, o que muda em ser educado ou não financeiramente e o que você precisa fazer para ter essa educação, se for algo que faça sentido para você.

E como um bônus, no final desse artigo preparamos uma lista com 9 passos que seguimos para nos educarmos financeiramente, esperamos que seja útil para você, como foi para nós!

 

O que é Educação Financeira?

Algumas pessoas associam Educação Financeira com investimentos, na verdade não é bem isso que significa esse termo, pois possuir essa educação na verdade quer dizer que você sabe lidar com o dinheiro.

Saber lidar com o dinheiro é valorizar o seu dinheiro, você pode até pensar que sabe fazer isso, mas pode ser um engano, porque a sociedade em que vivemos nos motiva a consumir, ostentar e a aumentar nossos gastos.

A Educação Financeira é uma nova modalidade de aprendizado, voltada a mostrar a importância de usar bem o seu dinheiro, construir riqueza e diminuir gastos que não são essenciais.

 

Como pensa alguém educado financeiramente

É comum ver pela internet e nos papos pelas classes de aula ou nos bares, que guardar dinheiro ou saber usá-lo é associado a ser mão de vaca ou mesquinho.

Existe até aquela parábola ridícula que circula há anos pela web onde alguém que para de tomar um cafézinho diário, comer pizza ou ir para festas por várias décadas poderá juntar meio milhão, mas que não alcançou a felicidade e, por isso, de nada valeu esse sacrifício.

Essa história visa apenas desacreditar a Educação Financeira e desanimar você, que está buscando tomar esse rumo para melhorar sua qualidade de vida.

Não precisa parar de fazer o que gostamos para atingir o sucesso financeiro, muito menos um café todo dia vai fazer essa diferença absurda na sua economia.

Eu sou um viciado em café e vivo dos meus investimentos, sou um exemplo real de que essa historinha é uma bela furada, posso ainda afirmar que por causa da Educação Financeira posso, hoje, ter a liberdade de tomar o melhor café que quiser e quando quiser.

 

O que acontece com quem não se educa

Sem educacao financeira

A maior parcela da população brasileira não possui nenhum tipo de instrução na área financeira, seus pensamentos estão moldados apenas para os gastos.

Nosso país gosta de idolatrar o consumo sem limites, status através de itens supérfluos como smartphones, carros e roupas, um símbolo estampado em uma camiseta faz seu valor aumentar em 3, 4 ou 5 vezes.

Essas pessoas que constroem a base de suas finanças em cima de dívidas e compras, mais cedo ou mais tarde vão enfrentar dificuldades em fazer as contas baterem, pois esse patamar de sucesso nunca será alcançado.

Um colega de trabalho uma vez me disse que tinha três cartões de crédito, com cada cartão vencendo em diferentes dias ele podia quitar suas dívidas e rolar para sempre essas faturas.

Você pode até imaginar que isso é uma ideia de gênio, mas o fato é que ele estava vivendo um estilo de vida que não conseguia sustentar e, inevitavelmente, ele quebrou.

Suas faturas ultrapassaram o limite do cartão e não foi mais possível ficar jogando a dívida para o próximo mês, precisou negociar e teve que trabalhar em dobro para conseguir gerar um salário que conseguisse abater um pouco das parcelas.

 

Como ter um boa Educação Financeira

A internet democratizou o conhecimento, isso é uma verdade que estamos presenciando aqui, quando que você teria acesso, gratuito, a todo esse tipo de estudos e de onde estivesse?

Muitos sites, blogs, eBooks e vídeos, estão a sua disposição para te ajudar na busca da Educação Financeira, existe bastante porcaria também, concordo com você, mas os profissionais bons estão se esforçando para divulgar esse pensamento de um Brasil que pensa, respeita e conversa sobre dinheiro.

Em nosso blog abordamos vários assuntos voltados para a Educação Financeira e em nosso canal no Youtube (conheça clicando aqui), que naturalmente vão te levar para uma evolução e buscar saber investir o que sobrou da sua grana.

Para investir é necessário que sobre algum dinheiro, isso é bem óbvio, e para que isso aconteça você primeiro precisa ser educado financeiramente, saber onde e quando usar seu dinheiro, guardar e fazer contas.

Não tenha medo de falar sobre dinheiro, isso é muito saudável e ajuda demais na sua caminhada para ter a Liberdade Financeira, buscar descontos, negociar taxas, definir o que é ou o que não é prioridade nos seus gastos, isso é uma maturidade financeira que poucos praticam.

 

Dicas práticas para a sua Educação Financeira

Bom, agora que você já sabe o que é a Educação Financeira, o que acontece com quem não leva isso a sério e os benefícios de praticar esse ensino no seu dia a dia, chegou a hora de botar a mão na massa.

Para dar um ponta pé inicial, sair dessa mentalidade de gastos, ostentação e dívidas, pode ser um esforço difícil e vamos dar dicas do que fizemos e funcionou para nós, uma pequena lista que você pode seguir, aumentar ou fazer o que consegue, o que é importa é dar o primeiro passo.

  1. Faça uma lista com seus gastos fixos
  2. Faça uma lista com seus ganhos (salário, vendas, pró-labore, comissão e etc)
  3. Verifique se o saldo final é positivo ou negativo
  4. Na sua lista de gastos avalie o que você pode diminuir
  5. Encerre suas contas bancárias com tarifas e mude para contas digitais sem tarifas
  6. Troque seus cartões com anuidade por cartões de crédito sem tarifas ou taxas
  7. Aproveite essas economias extras para acertar suas contas ou investir
  8. Quando começar a investir, comemore com as pessoas que gosta, isso é muito importante
  9. Crie objetivos e metas, sem isso você vai desanimar

Esses nove passos são alguns do que nós demos em nosso começo e que repassamos para que você possa aprimorar e aplicar na sua própria vida, não precisa ser idêntico, use o que dá certo para você, o que vale aqui é colocar em prática!

Bruno Papi

Investidor desde 2011 na Bolsa de Valores, fundador do site General Investidor e co-fundador do Criando Futuro. Bacharel em Sistemas de Informação, MBA em Gestão de Projetos e cursando pós-graduação em Finanças, Investimentos e Banking pela PUCRS. Já concedeu mais de 50 entrevistas em diversas mídias, além de palestrar em empresas e universidades sobre investimentos.