Apesar da quantidade de material que existe na internet sobre Tesouro Direto, os investidores ainda possuem muitas dúvidas e insegurança quanto a esse investimento, por isso, nós do Criando Futuro resolvemos fazer o maior tutorial já escrito sobre Tesouro Direto.

Tudo o que há para saber sobre essa que é uma das melhores modalidades de investimento em Renda Fixa está escrito nesse artigo e se ainda restar alguma dúvida, deixe nos comentários ao final da página que responderemos para que todos aprendam juntos.

O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional brasileiro que te possibilita, investidor pessoa física, comprar títulos públicos federais por valores acessíveis, diretamente pela internet.

O que são títulos públicos?

Os títulos públicos são papéis de dívidas emitidos pelo Tesouro Nacional para equilibrar as contas do Governo Federal brasileiro.

Como funciona essa emissão

  1. O Tesouro Nacional emite os títulos públicos e define suas taxas;
  2. A BM&FBovespa vende os títulos através do site do Tesouro Direto para os investidores;
  3. O investidor, através de uma corretora de valores, compra ou vende os títulos no site;
  4. O Tesouro Nacional se compromete a pagar uma taxa até a data de vencimento para o investidor que comprou o título;
  5. O investidor recebe o pagamento dos juros de uma vez no vencimento ou parcelado a cada 6 meses.

Vantagens e Desvantagens

Como todos os investimentos, o Tesouro Direto possui suas vantagens e desvantagens, avalie na lista que fizemos antes de prosseguir no estudo desse ativo.

Vantagens Desvantagens Tesouro Direto

Impostos e custos do Tesouro Direto

Esse é um tema que não pode deixar de faltar e que você deve entender bem antes de investir em títulos públicos, pois existe a incidência de imposto de renda e algumas taxas anuais que pagará nesse investimento.

Durante o texto, no passo 2 que trata da escolha da corretora, você vai conhecer as corretoras habilitadas, suas taxas de custódia e administração.

Indo direto ao ponto, os principais custos são:

  • Taxa de custódia obrigatória de 0,3% ao ano, cobrada pela BM&FBovespa.
  • Taxa de administração da corretora, pode variar de 0% até 2% ao ano.
  • Imposto de renda decrescente, sobre o rendimento, conforme explico a seguir.
  • IOF se resgatar nos primeiros 30 dias, depois disso não incidirá mais.

Imposto de Renda

O imposto de renda no Tesouro Direto ocorre de duas formas, no resgate do título, seja no vencimento ou na venda antecipada, ou no pagamento dos cupons semestrais.

O imposto é decrescente, portanto, quanto mais tempo de investimento menor será o imposto que você vai pagar. O valor começa em 22,5% e chega até a alíquota mínima de 15%, lembrando que é sobre o rendimento e nunca sobre o valor total investido, diferente de uma previdência, por exemplo.

Imposto Renda Tesouro Direto

Exemplo para estudo: Você comprou um título do Tesouro Prefixado por R$ 800 e no vencimento, após 720 dias, recebeu R$ 1.000,00.

O rendimento foi de R$ 200,00, uma conta rápida de 1000 – 800, nesse exemplo o valor descontado de imposto de renda será de 15% sobre 200 reais, pois ultrapassou 720 dias de investimento e incidirá a alíquota mínima.

O valor de imposto pago será de 0,15 x 200 = R$ 30.

Nos títulos de Juros Semestrais, sempre que você receber um cupom já será líquido de imposto de renda e a alíquota utilizada também é decrescente, por isso os títulos sem juros semestrais costumam render mais, pois os juros compostos vão agir por um valor muito maior no final do período.

Taxa de custódia

Fora o imposto de renda, existe a taxa de custódia fixa da BM&FBovespa que é de 0,3% por ano, sobre o valor total dos títulos.

Algumas corretoras também cobram taxa de custódia e que deve ser somada a essa taxa da BM&FBovespa para saber quanto pagar ao todo no ano.

Essa cobrança da taxa é automática e descontada de sua conta de investimentos na corretora de valores que faz a custódia dos seus títulos do Tesouro Direto, por isso é importante deixar o valor de custódia em sua conta quando for solicitado.

O valor devido ou já pago, pode ser consultado no site do Tesouro Direto no menu Consultar > Taxa de custódia semestral, selecione o período que deseja consultar e será exibido na tela, conforme a imagem abaixo.

Taxa custodia tesouro direto

Como investir no Tesouro Direto?

Agora que você já sabe o que é e como funcionam os títulos do Tesouro, está na hora de saber como investir no Tesouro Direto.

Fizemos um passo a passo para você investir e ao final desse artigo temos plena certeza que será capaz de fazer isso por conta própria e com segurança, mesmo assim estamos aqui para te ajudar a vencer qualquer medo ou barreira para dar esse passo.

Passo 1 – CPF e conta corrente

Você vai precisar ter um CPF válido e uma conta corrente em um banco, não pode ser conta poupança. Não existe motivos para se preocupar, pois aqui já explicamos como fazer uma conta corrente sem nenhum custo, clique aqui para saber como ter sua conta gratuita e sem taxas.

Passo 2 – Escolha uma corretora

Você precisa se cadastrar em uma Corretora de Títulos e Valores Mobiliários que será sua agente de custódia no Tesouro Direto.

Essa corretora pode ser ligada ao seu banco (o que é muito mais caro, porém prático) ou uma corretora independente (são mais baratas, porém é preciso transferir o dinheiro), essa decisão cabe a você tomar e vai impactar nas taxas que pagará para investir no Tesouro Direto.

Existem diversas corretoras que são autorizadas a operar no Tesouro Direto, você pode clicar aqui para visitar essa lista e escolher a sua, filtrando por taxa e outros benefícios.

Visitando a página de corretoras do link que disponibilizamos, rolando a página para baixo, você verá a seguinte lista como a abaixo:

Pesquisa corretoras tesouro direto

Depois de escolher sua corretora e entrar em contato, eles vão te pedir para preencher uma ficha de inscrição e costumam também pedir os seguintes documentos, em forma digital (pode usar um Scanner) ou por correio:

  • Cópia do seu CPF.
  • Cópia do documento de identificação, que pode ser RG, CNH, documentos emitidos por Conselhos Profissionais, RNE ou Passaporte com filiação.
  • Cópia de comprovante de endereço de emissão de até 3 meses (conta de água, luz, telefone e etc).

Esse processo pode levar até uma semana, mas pode ser até mais rápido do que isso se enviar os documentos solicitados o mais breve possível.

Passo 3 – Solicite o acesso

Depois de se cadastrar e ser aprovado, receberá o acesso para sua conta de investimentos na corretora.

Agora você deve solicitar o acesso ao Tesouro Direto, isso pode ser feito por telefone ou e-mail, basta escrever ou dizer que quer investir no Tesouro Direto e deseja habilitar o acesso ao site do Tesouro Direto.

Após um período de um a dois dias, a corretora vai habilitar o seu acesso e você receberá duas senhas provisórias enviadas pela BM&FBovespa.

Uma dessas senhas será para o CEI, Canal Eletrônico do Investidor, um site onde poderá acompanhar todos os seus investimentos na Bolsa de Valores, sejam ações, fundos imobiliários ou os títulos do Tesouro Direto e emitir extratos.

CEI Bovespa

A outra senha, após solicitar o acesso ao Tesouro Direto para sua corretora, será para acessar o sistema diretamente do Tesouro. Algumas corretoras permitem investir pelo sistema delas para comprar e vender os títulos.

Nós recomendamos usar apenas o site oficial do Tesouro Direto, igual da imagem abaixo e que você acessa pelo endereço (copie e cole em seu navegador para acessar, depois que receber a senha): https://tesourodireto.bmfbovespa.com.br/portalinvestidor/

Acesso Tesouro Direto

Passo 4 – Conheça o site

Depois de receber sua senha provisória e acessar o site com o seu CPF, conforme o passo anterior, você acessará finalmente o site do Tesouro Direto, a página principal é semelhante a imagem abaixo que retirei do meu próprio acesso.

Site Tesouro Direto

As opções mais importantes para se aprender nessa página são as seguintes:

  • Início: página inicial que será vista sempre ao acessar o site do Tesouro Direto e igual a da imagem acima.
  • Comprar e vender: menu para as páginas de comprar e vender títulos que vou explicar em seguida.
  • Consultar: menu para as páginas de consulta de extratos dos títulos, protocolos e valores de custódia.
  • Botão de Acesse Aqui: esse botão abre um questionário rápido para te ajudar a selecionar os melhores títulos para o seu perfil.
  • Tabela de Títulos Públicos em Negociação no Tesouro Direto: essa tabela exibe os títulos disponíveis para compras naquele momento, o nome do título, data de vencimento, taxa de rentabilidade e valor de compra do título inteiro.

O gráfico em formato de pizza que aparece na imagem acima do meu acesso, se refere aos títulos que estão na carteira e são separados por tipos em IPCA, Selic e prefixado.

Em dados cadastrais, no topo superior da página, você pode modificar seus dados de acesso e senha. Ao lado em Sair, você desconecta do sistema.

Passo 5 – Escolha um título

Existem vários tipo de títulos para você escolher e isso causa uma tremenda confusão em quem começa a investir, por isso, vou explicar cada um dos títulos disponíveis para compra.

Títulos Tesouro Diretoa

Tesouro Prefixado

O Tesouro Prefixado, antiga sigla LTN, é um título que apresenta uma taxa fixa no momento da compra e que perdura até o vencimento.

Esse título é procurado por investidores que acredita em queda na taxa de juros (Selic) ou que pretendem realizar trades com os títulos do Tesouro, apesar de ser uma tática pouco recomendada cada um é livre para operar o seu dinheiro como quiser e nossa proposta é apresentar todos os tipos de estratégias para cada perfil.

Esse título público é conhecido por ser o mais fácil de se analisar, pois na data de vencimento um título inteiro, ou seja, uma unidade de título, equivale ao valor bruto de R$ 1.000,00.

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais, antiga sigla NTN-F, é um título que apresenta uma taxa fixa no momento da compra e que perdura até o vencimento, sendo paga através de cupons semestrais, ou seja, a cada 6 meses.

É um título utilizado para travar uma taxa no momento da compra e receber os rendimentos na conta da corretora de custódia a cada 6 meses, auxiliando na renda ou para reinvestir em outros ativos, como ações ou os próprios títulos do Tesouro.

Esse título é tão fácil de analisar quanto o anterior, pois os cupons pagos até o vencimento e mais o valor investido completarão a soma de R$ 1.000,00, a diferença é que serão pagos a cada seis meses até o vencimento.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic, antiga sigla LTF, é um título do segmento pós-fixado. O título pós-fixado não possui um valor fixo de rendimento e está sujeito a variação do índice que é atrelado, no caso do Tesouro Selic é o índice da taxa de juros Selic.

É o título mais indicado pelos economistas e jornalistas financeiros por causa da sua segurança e perfil conservador, além da valorização seguindo a taxa Selic é possível que tenha algum bônus prefixado também no momento da compra, nesse caso o título renderá a Selic e mais esse bônus, quando houver.

Exemplo para estudo: Tesouro Selic 2099, com taxa de juros ao ano de 0,04%, no momento da compra.

Esse título renderá SELIC + 0,04%, supondo uma taxa Selic de 12% o título renderá 12% + 0,04%, onde temos o valor final de juros ao ano de 12,04% ao ano, valor bruto.

Esse título não paga juros semestrais, por isso, o rendimento é pago na data de vencimento do título e junto do valor total investido.

O Tesouro Selic varia de acordo com a taxa de juros, por isso, o investidor deve acompanhar a taxa Selic antes de tomar sua decisão de comprar ou não esse título.

Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+, antiga sigla NTN-B Principal, é um título do segmento pós-fixado, porém conta também com uma taxa pré-fixada no momento da compra.

Os títulos IPCA+ são atrelados a inflação, representada nesse caso pelo índice IPCA, logo o investidor que compra esse título se protege da inflação e recebe um bônus que é a taxa fixada na hora da compra, essa taxa varia diariamente e até mais de uma vez por dia, dependendo da oferta e demanda pelo título.

Exemplo para estudo: Tesouro IPCA+ 2099, com taxa de juros ao ano de 5%, no momento da compra.

O título desse exemplo renderá a taxa IPCA, vamos supor de 7%, mais o bônus de 5%, então a conta seria 7% (IPCA) + 5% (taxa prefixada), onde vamos ter o total de 12% de juros ao ano para esse investimento.

É um título bastante indicado para planos de longo prazo, como aposentadoria ou renda complementar, além de aquisição de imóveis. O rendimento desse título é pago no vencimento juntamente do valor investido.

Como esse título varia de acordo com a inflação, você possui a certeza dessa proteção e com o acréscimo do bônus da taxa prefixada que garante um ganho real acima da inflação.

Para tomar a decisão de comprar ou não esse título, consulte antes a taxa IPCA para fazer a conta do rendimento esperado.

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais

O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais, antiga sigla NTN-B, é um título pós-fixado e com um bônus de uma taxa prefixada junto, semelhante ao Tesouro IPCA+, abordado anteriormente.

O rendimento e a análise desse título é a mesma utilizada para o título do Tesouro IPCA+, sua grande diferença são os juros semestrais ou cupons semestrais, como alguns investidores também pode conhecer.

Os juros desse título, ao contrário do anterior, são pagos a cada 6 meses de acordo com o calendário de pagamento de cupons do Tesouro Direto.

Exemplo para estudo: Tesouro IPCA+ 2098 com Juros Semestrais, apresentando um bônus de 5% de juros ao ano.

Supondo uma taxa de inflação de 7% ao ano e acrescido do bônus de 5% do exemplo, temos o valor final de 12%, porém esse juros será pago em fevereiro e outra parte em agosto, seguindo assim até o vencimento do título.

O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais é para um perfil de investidor que já possui um bom capital para aplicar, seja de aposentadoria, indenização trabalhista ou herança, pois o ganho é no curto prazo, recebendo os juros a cada 6 meses.

Consultar a taxa Selic e IPCA

Para consultar as taxas Selic e IPCA, visando o estudo dos títulos Tesouro Selic ou Tesouro IPCA+, recomendamos visitar o site oficial do Banco Central do Brasil (BCB), responsável por exibir esses índices.

O link para visitar o site do BCB é o: http://www.bcb.gov.br

Ao entrar no site você deve buscar a coluna na direita (se visitar por computador ou tablet) ou rolar a página para baixo até visualizar as taxas (se visitar por celular ou smartphone), conforme a imagem abaixo que retiramos de nossa consulta no dia 12 de Outubro de 2016, através do link mencionado anteriormente.

Consulta SELIC e IPCA

Essas taxas podem mudar mensalmente e, portanto, você deve verificar sempre antes de avaliar um título que é pós-fixado.

Calendário de Juros Semestrais

Para saber a data exata de pagamento dos cupons semestrais, pagos pelos títulos com denominação de Juros Semestrais, baixe o PDF oficial do Tesouro Direto que disponibilizamos gratuitamente (para visualizar é necessário possuir instalado um programa para visualizar PDF como Adobe Reader ou Foxit Reader), clique aqui e baixe o PDF do calendário de cupons semestrais.

Nos meses indicados pelo calendário, você receberá o equivalente ao rendimento daquele título no ano direto em sua conta de investimentos, na corretora de valores que selecionou no momento da compra, para fazer a sua custódia.

Você pode identificar que existem títulos que pagam cupons no dia 15 de fevereiro e no dia 15 agosto (vencimento com final par) e que outros que pagam cupons no dia 15 de maio e no dia 15 de novembro (vencimento com final ímpar).

Passo 6 – Compre o título

Você já passou por todos os passos, desde a criação de uma conta na corretora de valores até a seleção de um título para o seu perfil, agora chegou a hora de comprar.

Entre no site do Tesouro Direto com seu CPF e senha, espero que já modificada, vá ao menu de Comprar e vender, selecione Comprar e poderá ver a tela a seguir.

Comprar Tesouro Direto

Selecione em Agente de custódia a corretora que deseja operar os seus títulos do Tesouro Direto, pois podem aparecer várias opções se você tiver mais de uma corretora.

Após selecionar sua corretora de preferência para o Tesouro Direto, digite a quantidade que deseja de títulos ou o valor desejado na linha referente ao título que você vai comprar.

A quantidade de compra deve ser múltipla de 0,1, por exemplo 0,01 ou 0,3, como também pode ser um título inteiro representado por 1, dois títulos por 2 e assim por diante. Dei um exemplo prático na imagem abaixo para que você entenda melhor.

Comprando títulos

É possível também informar o valor que deseja comprar e o sistema fará a conta automaticamente da quantidade e vice-versa, escolha o que for melhor para você, lembrando que o limite mínimo de compra é de R$30,00, abaixo disso o sistema não vai te deixar continuar a compra.

Informada a quantidade ou o valor referente aos títulos que você quer comprar, basta clicar em continuar para visualizar a tela de confirmação, conforme a próxima imagem do exemplo.

Título fracionado

Perceba que é exibido um valor na taxa agente de custódia, pois a corretora do exemplo cobra uma taxa por ano e essa taxa é cobrada antecipadamente, diferente da taxa da BM&FBovespa obrigatória que é paga em um período fixo por semestre.

Antes de dar esse passo você precisa ter o dinheiro na sua conta da corretora de valores que fará a custódia dos seus títulos, por isso verifique o valor total de compra dos títulos antes de confirmar.

Caso você confirme sem ter os recursos na conta da corretora em até um dia útil (algumas corretoras precisa ter na mesma hora), a compra é cancelada automaticamente e em caso de reincidências poderá ficar até 60 dias suspenso para novas compras.

Passo 7 – Acompanhe sua carteira

Se você leu e realizou todos os passos agora é oficialmente um investidor do Tesouro Direto e, por isso, deve acompanhar sua carteira para monitorar os rendimentos e evolução dos seus títulos.

Todo mês o Tesouro Direto te enviará um e-mail com o link para acessar o seu extrato consolidado, o valor total dos seus investimentos em um determinado mês, você também pode fazer isso quando quiser.

Para realizar essa consulta, entre no site do Tesouro Direto e vá no menu Consultar > Extrato Consolidado, escolha o mês e ano que deseja verificar e um resumo será exibido na tela.

Extrato Tesouro Direto

Passo 8 – Continue aprendendo

Queremos te parabenizar por chegar até aqui, poucas pessoas buscam a informação e vão além de procurar uma fórmula mágica ou a resposta pronta, por isso, você já ultrapassou muita gente chegando nesse ponto.

Esse passo a passo sobre o Tesouro Direto que fizemos serve de um guia para as principais dúvidas dos investidores e acreditamos que para as suas também, por isso, compartilhe com seus amigos e amigas esse conhecimento se achar que faz sentido para você ajudá-los.

E se você quer investir, mas sente alguma dificuldade ou que precisa se aprofundar mais, se cadastre abaixo GRATUITAMENTE para receber o acesso da nossa próxima aula ao vivo que é transmitida 100% online.

Inscreva-se para receber o acesso da Aula ao Vivo (online) em 19 de Abril de 2017 às 20h!

Me avise por Email

Bruno Papi

Investidor desde 2011 na Bolsa de Valores, fundador do site General Investidor e co-fundador do Criando Futuro. Bacharel em Sistemas de Informação, MBA em Gestão de Projetos e cursando pós-graduação em Finanças, Investimentos e Banking pela PUCRS. Já concedeu mais de 50 entrevistas em diversas mídias, além de palestrar em empresas e universidades sobre investimentos.