Voltar para a home

Novo aumento na taxa Selic: 7,75% ao ano!

Novo aumento na taxa Selic: 7,75% ao ano!

Na tarde desta quarta-feira (26), o Comitê de Política Monetária (COPOM) divulgou o novo aumento da SELIC em 1,5 p.p, chegando assim ao patamar de 7,75% em 2021.

A taxa SELIC é a taxa básica de juros da economia. Ela é um mecanismo que o governo utiliza para controlar a inflação no Brasil. O principal objetivo de seu aumento é controlar a quantidade de moeda em circulação, desestimulando o consumo e incentivando a poupança.

Desse modo, o aumento de 1,5 p.p da SELIC veio acima das expectativas do mercado, que encontravam-se em 1,25 p.p. Com isso, a taxa básica de juros atinge o patamar de 7,75% .

O principal motivo de todo o aumento repentino está ligado diretamente à inflação desenfreada em nosso país. Todos nós estamos sentindo mensalmente em nossos bolsos os preços aumentando, principalmente dos combustíveis e do preço da energia elétrica. A tentativa do Banco Central em controlar a inflação pode demorar ainda alguns meses para ter um efeito perceptível para a população em geral. Em vista disso, podemos nos preparar para mais alguns meses de aumento de preços.

inflacao acumulada 2021

Como podemos nos beneficiar do aumento na Selic?

Conforme a taxa SELIC aumenta mais atrativa torna-se os investimentos de Renda Fixa, principalmente os atrelados ao CDI (taxa que acompanha a taxa básica de juros). Você pode encontrar títulos que pagam boas taxas e que tragam uma rentabilidade muito interessante, e o melhor de tudo, com baixo risco.

Contudo, você deve ficar atento aos investimentos atrelados à Renda Variável. Historicamente, quando temos um aumento da SELIC o risco de investir na bolsa de valores torna-se muito alto para o retorno esperado, o que faz com que o preço dos ativos sofra uma correção pela migração de grande parte dos investidores para a Renda Fixa.

Caso queira entender um pouco mais sobre como se você pode se beneficiar com a alta da SELIC ou tenha alguma dúvida, leia o artigo sobre a Taxa Selic.

Por: Bruno Papi

Categorias: Notícias, Finanças