Aulas

Reserva de Emergência: 4 Passos Simples para Fazer a Sua

Reserva de Emergência: 4 Passos Simples para Fazer a Sua

A reserva de emergência ou fundo de emergência deve ser o primeiro passo na vida de um investidor iniciante. A partir dela, você estará protegido e terá uma quantia de dinheiro disponível em um ativo seguro e de alta liquidez, para que possa resgatar no caso de surgir algum imprevisto. Confira abaixo o passo a passo de como montar a sua reserva.

Passo 1: Organize suas finanças

Montar uma reserva de emergência requer certa organização financeira. Deve-se, antes de tudo, fazer um levantamento de todos os seus gastos e rendimentos. Este é o primeiro passo essencial, não só para montar o seu fundo de emergência, mas também para saber qual porcentagem será investida.

Sugerimos subdividir seus gastos entre gastos fixos e variáveis. Caso queira aprofundar ainda mais, também é interessante subdividir gastos excepcionais (como remédios, por exemplo) e supérfluos (por exemplo: assinatura da Netflix e pedidos no iFood). Desta forma, é fácil saber o que pode ser cortado para aumentar sua poupança mensal.

Passo 2: Calcule 6 vezes o valor dos seus gastos essenciais.

Sabendo quais são seus gastos fixos mensais e, em especial, os que são essenciais (como aluguel, alimentação, transporte e similares), recomendamos uma quantia que represente seis vezes estes gastos fixos.

Há um motivo para isso: imagine que, por exemplo, dada uma crise econômica como a de 2020, você perde seu emprego. Se você tiver uma reserva de emergência, estará protegido fazendo uso dessa reserva durante seis meses, enquanto busca uma recolocação no mercado de trabalho. Caso contrário, provavelmente precisará contrair uma dívida bancária para sobreviver e isso reduzir ainda mais o seu patrimônio, por conta do desemprego e também pela falta de preparo para esse cenário.

Passo 3: Onde investir o dinheiro do fundo de emergência

O ideal é sempre aplicar na renda fixa para a criar a sua reserva de emergência. Isto porque a intenção com a reserva não é ter uma rentabilidade alta, mas a proteção (baixo risco) e liquidez diária. Por isso, os investimentos mais utilizados para essa finalidade são ativos como o Tesouro Selic ou um CDB de liquidez diária. Outra boa opção são os fundos de renda fixa, como os fundos DI.

Mas atenção: é necessário que esses fundos tenham liquidez D+0 para que você consiga resgatar o seu dinheiro imediatamente no caso de uma emergência.

Passo 4: Mantenha a organização e atualize a reserva de emergência

Manter seu orçamento financeiro e seu controle de gastos em dia é essencial para ter uma boa reserva de emergência. Com o descuido, os gastos tendem a aumentar, e pode ser que a sua reserva de emergência já não tenha uma quantia necessária para cobrir as suas despesas no caso de uma adversidade.

Por isso, é necessário que, mesmo com a reserva de emergência montada, você ainda mantenha a sua planilha financeira em dia. Em seguida, com a reserva feita e as contas organizadas, você deve considerar investir para multiplicar o seu patrimônio e realizar novas metas.

Gostou? Então, não esqueça de compartilhar essa aula com os seus amigos através dos botões abaixo!