Voltar para a home

O que é NFT? A tecnologia que criou novos milionários

O que é NFT? A tecnologia que criou novos milionários

NFT é uma espécie de certificado digital, estabelecido via blockchain, que define originalidade e exclusividade a bens digitais. Sigla para "Non-fungible Token" ("Token não-fungível", em tradução livre), os NFTs têm chamado a atenção após somas milionárias terem sido usadas para comprar esse tipo de ativo na Internet.

De uma forma simplificada, um NFT atrelado a um item digital qualquer — uma imagem, foto, vídeo, música, mensagem, postagem em rede social etc. — faz desse item único perante o mundo, gerando escassez em torno do item e abrindo espaço para que um mercado se instale, envolvendo colecionadores e investidores interessados em investir dinheiro de verdade na aquisição de obras e ativos digitais.

O que é NFT?

NFT é uma sigla para "Non-fungible Token" que, em tradução livre, seria algo como "Token não-fungível". A chave para entender o que são NFTs e sua aplicação está na ideia de um bem ser ou não fungível. Em economia, bens desse tipo são aqueles que não são únicos e são intercambiáveis: uma moeda de R$ 1 é um bem fungível porque, se você trocá-la por outra, você continua com R$ 1.

Agora imagine uma obra de arte valiosíssima: ela é única e é cobiçada por colecionadores e museus do mundo todo. Se você tem um quadro famoso e o troca por outro, o resultado da operação não é mais de equivalência como no caso da troca da moeda. Obras de arte são, portanto, exemplos de bens não-fungíveis: ao trocar um pelo outro, você acaba com um resultado diferente da sua posição de saída, já que a nova pintura nunca será igual à obra pela qual você trocou.

Esse é o conceito por trás de NFTs: eles são como um tipo de assinatura digital que transforma qualquer tipo de mídia digital — um GIF ou JPEG, fotos, vídeos, mensagens, arquivos de áudio etc. — em um bem não-fungível. Exemplo: eu e você temos a mesma cópia de um meme famoso, mas digamos que você é o criador e atrelou o meme a um NFT, que atesta sua posse da cópia "original" desse meme.

Na prática, a sua cópia do meme é a "original" e, assumindo que há alguma demanda por ela, pode despertar o interesse de colecionadores de arte, que agora andam investindo nesse mercado. O NFT atrelado a um "bem" digital comum, com bilhões de cópias na Internet, serve para criar uma escassez em torno desse item, já que no meio desse bilhão de cópias, apenas uma tem esse atestado de "originalidade".

Para resumir, portanto: NFTs são um tipo de atestado digital, verificado por blockchain, que transformam as mídias digitais únicas em originais perante cópias comuns.

Para que serve o NFT?

Agora que você entendeu o que é NFT, fica mais fácil explicar por que essa tecnologia está virando febre no mundo digital.

Se você acompanha notícias, deve ter visto que o meme do Nyan Cat, criado lá em 2011, foi vendido por impressionantes R$ 3 milhões em um leilão de uma plataforma de criptoarte, segundo notícia publicada no portal UOL.

meme Nyan Cat

Imagem: Reprodução

Já o meme Doge, que mostra um cão da raça Shiba Inu e virou até criptomoeda (Doge Coin), foi vendido por US$ 4 milhões, algo em torno de R$ 20 milhões, conforme noticiado pelo portal de notícias G1.

meme Doge

Imagem: Reprodução

E o NFT mais caro já vendido até então é uma colagem do artista digital Beeple chamada “Everydays: The First 5000 Days”, arrematada em um leilão online por US$ 69,3 milhões (mais de R$ 360 milhões).

Everydays: The First 5000 Days

Imagem: Reprodução

Agora você deve estar se perguntando: "por que alguém pagaria milhões em um arquivo digital que é reproduzido de graça em toda a internet?".

Bem, a ideia por trás é mais ou menos a mesma que ter uma pintura original, como “A Noite Estrelada”, de Van Gogh, na parede da sua sala. Podem existir milhares de réplicas por aí, mas só você terá o quadro autêntico pintado pelo artista, e nada substitui o valor dessa obra.

Com o NFT é a mesma coisa: a imagem pode ser reproduzida o tempo todo na internet, mas só você terá o arquivo original com o token que comprova sua autenticidade.

Isso faz de você proprietário de um produto raríssimo que tende a valer cada vez mais em um mundo digitalizado e tokenizado.

Outro exemplo de aplicação do NFT é na venda de filmes, como no caso de “Zero Contact”, estrelado por Anthony Hopkins, distribuído nesse formato. Mas, na prática, qualquer arquivo digital ou contrato que represente um valor pode ser vendido na forma de um NFT.

Como funciona a tecnologia NFT?

Apenas recapitulando o que vimos até aqui: NFT é um token não fungível que autentica um produto digital e pode ser transacionado por meio de uma rede blockchain.

Ou seja: a mesma rede usada para comprar e vender ativos fungíveis, como as criptomoedas, passaram a ser usadas para movimentar bens digitais únicos e irreprodutíveis.

A diferença do NFT em relação a outros criptoativos está na chamada “escassez digital verificável” criada pelo seu token. Para comercializar um ativo digital único online, foram criados padrões de criptografia que permitem gerar tokens únicos em toda a sua existência, que não podem ser substituídos ou destruídos.

Um desses padrões é o ERC-721, usado na rede Ethereum para comercializar obras famosas de criptoarte. Com a aplicação desse token não fungível, o arquivo se transforma em um “item colecionável”, porque seu valor está justamente na raridade.

No código do token, existem campos como nome, símbolo, proprietário, aprovação de posse, transferência, metadados, entre outros elementos que se assemelham ao de um contrato inteligente (smart contract).

Tudo para garantir que o NFT seja um verdadeiro selo de autenticidade digital impossível de ser corrompido, reproduzido ou violado.

Como posso usar um NFT?

Como vimos, o NFT tem sido utilizado para comercializar todo tipo de produto digital com a segurança da tecnologia blockchain. Na realidade, o padrão de tokens não fungíveis já existe desde o início da década de 2010, mas a popularidade só chegou com a ascensão dos criptoativos.

Hoje, o uso mais conhecido do NFT é o comércio de criptoarte, que vem crescendo continuamente. De acordo com dados do site NonFungible.com publicados no Valor Econômico, o mercado de NFTs movimentou US$ 2 bilhões no mundo todo em 2021 (e o ano ainda não acabou) — 20 vezes mais do que em 2020.

Já o número de carteiras ativas de NFTs cresceu 159% no mesmo período, passando dos 142 mil.

Como posso comprar e vender um NFT?

Depois de saber o que é NFT, vem a dúvida: como posso fazer dinheiro com um NFT, afinal?

Os primeiros NFTs comercializados no mundo foram itens para jogos digitais, e hoje já é possível comprar imagens, vídeos, textos, memes, filmes, etc.

Na plataforma Nifty Gateway, por exemplo, são vendidas peças de diversos artistas digitais em um grande catálogo de NFTs.

Na Binance NFT, criada pela famosa criptomoeda Binance, as obras são vendidas em categorias como artes, esportes, entretenimento e jogos.

Já a NFT Trend é o primeiro marketplace dedicado a tokens não fungíveis no país.

NFT e o futuro do dinheiro

A principal vantagem da tecnologia é a garantia da autenticidade, sem que isso implique em gastos extras ou necessidade de uma autoridade reguladora. Contudo, os benefícios de se usar o NFT vão além.

A desburocratização da compra e venda de artigos é o reflexo disso. No modelo tradicional, se você compra um quadro na França, precisa encontrar uma transportadora especializada para trazê-lo em segurança, providenciar toda a papelada de importação e ainda pagar as taxas de importação para a Receita Federal.

Com o NFT tudo isso é simplificado, sendo possível estabelecer apenas um acordo direto entre comprador e vendedor.

Uma outra vantagem para os artistas é que eles podem adicionar royalties de forma automática aos contratos digitais firmados na venda dos ativos. Assim, mesmo que o token seja revendido várias vezes depois, o artista continuará recebendo uma parte do dinheiro para sempre.

Entendeu como essa tecnologia é revolucionária? No futuro, os NFTs abrirão as portas para a digitalização de todos os direitos de propriedade intelectual existentes. Mais do que isso, podem trazer fontes de renda extra para outros segmentos.

Grandes marcas, como a Taco Bell, já começam a olhar para essa inovação com elevado potencial de lucro. A empresa de fast food inclusive lançou uma série de GIFs que receberam lances de até US$ 700. As marcas podem usar isso para fidelizar ainda mais seus clientes e admiradores.

O universo dos NFTs só está engatinhando, mas há um caminho vasto para ser percorrido. Quem estiver por dentro pode sair na dianteira e adentrar em um mercado promissor.

Gostou de aprender sobre os NFTs? Então, compartilhe esse artigo com os seus amigos através dos botões abaixo!

Por: Bruno Papi

Categorias: Negócios, Finanças