Como investir em ações? Passo a passo

Como investir em ações? Passo a passo

O investimento em ações cresceu muito no Brasil nos últimos anos. Segundo a B3, a nossa Bolsa de Valores, o número de investidores na Bolsa cresceu 42% só no primeiro semestre de 2021.

Mas você sabe exatamente o que é uma ação, como funciona esse mercado e como investir nele? Vamos te ensinar nesse passo a passo.

O mercado de ações

De forma simplificada, o mercado de ações funciona como uma loja onde os produtos são pedacinhos de empresas.

Quando você compra um pedacinho da empresa, você se torna um acionista. Ou seja, se a empresa prospera, você também colhe uma pequena parte disso.

Por outro lado, se a empresa tem algum problema, o preço das ações pode cair e você pode perder dinheiro também.

B3 (Bolsa de valores)

A B3 é a Bolsa de Valores brasileira. Ela fica em São Paulo, no centro da cidade. É nela onde as ações são negociadas.

Antigamente, os “pregões”, como chamamos o período no qual são negociados ativos e ações, lotavam a B3.

Hoje, os compradores e vendedores de ações fazem tudo pelo home broker, ou seja, pelo computador ou pelo aplicativo no celular.

Tanto pessoas físicas quanto jurídicas possam fazer negociações no mercado financeiro. Basta abrir uma conta em uma corretora.

Como as ações rendem?

Existem duas formas de lucrar com ações:

  • Pela variação de preço delas no momento da compra e venda;
  • Por meio do pagamento de dividendos, que é uma divisão de parte dos lucros da companhia aos acionistas.

Com a oscilação no mercado de ações, as cotas variam de preço ao longo do tempo. Às vezes têm picos de diferença em um mesmo dia.

Dessa forma, se o investidor souber comprar na baixa e vender na alta, ele lucra essa diferença de preço.

Já os dividendos são ótimos para quem quer ter uma renda extra, tanto para reinvestir, quanto para usar.

Os dividendos são pagos mensal, trimestral, semestral ou anualmente, a depender de cada empresa e tipo de ação.

Vale lembrar que não são todas as ações que pagam dividendos, por isso, cheque o tipo de ação que está comprando.

Verifique também o histórico da companhia, para saber se ela costuma pagar bons dividendos.

Já no lucro de ações, existem setores mais estáveis e que geralmente não têm grandes flutuações de preço.

Por isso, você tem que conhecer a ação que está comprando para saber se ela atende ao seu objetivo.

Geralmente ações que têm grande variação de preço não pagam dividendos, ou pagam menos.

Já as ações de empresas consolidadas e com recorrência no pagamento de dividendos tendem a ter preços de cotas estáveis.

Quais ações pagam dividendos?

Muitas empresas pagam dividendos aos seus acionistas, afinal, isso é muito bem visto pelo mercado.

Algumas, no entanto, preferem reinvestir a maior parte do lucro no crescimento da empresa. Elas distribuem menos dividendos, mas oferecem maior potencial de valorização das ações.

Algumas empresas ainda distribuem os dois tipos de ações: com ou sem direito a dividendos.

Por isso, é preciso estudar a ação antes de comprá-la para saber se ela está alinhada com o seu objetivo de investimento.

Ações chamadas preferenciais, identificadas pela sigla PN, são as que pagam dividendos. E as empresas que geralmente pagam bons dividendos são as de setores mais estáveis da economia.

Por exemplo: empresas de distribuição de energia, água e esgoto, siderúrgicas, petroquímicas e bancos costumam ser boas pagadoras de dividendos.

O que são ações ordinárias?

Além do pagamento ou não de dividendos, é preciso se atentar ao tipo de ação para saber o seu poder sobre a empresa.

As ações ordinárias (ON), por exemplo, são aquelas que dão ao dono da ação o direito a voto e participação nas decisões da companhia.

Na B3, as ações ordinárias são as com o final 3 no ticker, o termo usado para definir a ação. Por exemplo: VALE3, RENT3, WEGE3.

Elas costumam ser mais interessantes para quem busca lucrar com a valorização da companhia e consequentemente das ações.

O que são ações preferenciais?

As preferenciais (PN) são as que têm preferência no recebimento de dividendos, mas não dão direito ao voto.

Além disso, em caso de falência da empresa, os donos deste tipo de ação têm prioridade na restituição do capital.

Como investir em ações?

Para investir em ações, primeiro, você precisa abrir uma conta em uma corretora de investimentos. Ou recorrer ao seu banco, caso ele ofereça esse tipo de serviço.

Geralmente, as corretoras oferecem taxas mais atrativas ao investidor. E também contam com agentes autônomos, que são pessoas físicas que fazem a ponte entre o investidor e a corretora.

Caso você esteja começando a investir agora, fuja das dicas e dos atalhos, eles não funcionam. O mais importante é estudar bastante sobre como funciona o mercado e tomar as suas próprias decisões.

Antes de comprar uma ação, estude sobre ela, veja o histórico dos últimos meses e anos e, o mais importante: invista somente naquilo que conhece.

Investir em ações de diferentes setores e com diferentes métodos pode garantir maior proteção, mas pode ser apenas que você compre um monte de ações ruins que não vão render nada ao longo dos anos.

Além disso, jamais invista em ações se você ainda não tem uma reserva de emergência investida em renda fixa ou em uma conta remunerada.

Home brokers

Os home brokers são os aplicativos de investimento em ações. Eles permitem que você acompanhe o comportamento das ações e faça as aplicações.

É possível acessar o home broker pelo celular, no aplicativo da corretora, ou pelo computador.

Onde investir em ações?

Enganasse quem pensa que só dá para investir em ações de empresas brasileiras. Hoje, existe mercado de ações nos principais países de todos os continentes. E você pode acessá-los.

O mercado de ações mais popular e que reúne cotas de todo o mundo, no entanto, é o norte-americano. Os EUA têm duas Bolsas muito importantes: a NYSE e a NASDAQ.

No Brasil

Para investir no Brasil, ou seja, comprar ações de empresas brasileiras, basta abrir a conta na corretora e comprar as ações disponíveis na B3.

No exterior

Até pouco tempo atrás, para investir no exterior, era preciso abrir uma conta internacional de investimento. Mas hoje isso mudou, graças aos BDRs.

BDRs

Os BDRs são os Brazilian Depositary Receipt, ou seja, certificado de depósito de valores mobiliários.

Em resumo, é um recibo emitido no Brasil que representa outro valor mobiliário, emitido por empresas de capital aberto que têm sede no exterior.

Ou seja, é um recibo de compra de uma ação estrangeira. E a instituição que emite no Brasil o BDR é chamada de instituição depositária.

Como declarar ações no IR?

Para declarar suas ações no Importo de Renda você deve entrar na ficha “Bens e Direitos” e selecionar o código conforme o tipo de investimento. No caso das ações, é “31-ações”.

Logo após, no campo “Discriminação”, você vai preencher os dados necessários para cada investimento. São eles:

  • Nome;
  • CNPJ da empresa;
  • Código dos papéis;
  • A quantidade que você tinha em 31/12 do ano referente à declaração;
  • O valor pago pelas ações;
  • As vendas ou compras parciais feitas ao longo do ano.

Um ponto de atenção: você não deve colocar o valor da cotação atual. Coloque o preço de compra das ações vezes a quantidade e os custos de corretagem de acordo com o que você pagou.

Para facilitar, você pode utilizar o valor do custo médio das ações.

Vale a pena investir em Ações?

O mercado de ações possui uma infinidade de opções que podem te trazer ótimos ganhos, principalmente no longo prazo.

No entanto, vale lembrar que trata-se de um investimento de risco moderado a alto e por isso exige conhecimento prévio.

Estude bastante sobre a ação que você deseja comprar e, se necessário, consulte um especialista. Além disso, jamais se esqueça que diversificação não é pulverização e de sempre ter uma reserva de emergência.

Atualizado em

Por: Bruno Papi

Categorias: Investimentos

Compartilhe esse artigo com mais pessoas: