Aulas

Entenda a diferença entre poupar e investir

Entenda a diferença entre poupar e investir

As duas ações estão relacionadas à maneira como as suas finanças são controladas mês após mês. Porém, embora ambas sejam confundidas com frequência, poupar e investir não são sinônimos e exigem posturas diferentes, nem sempre compreendidas. 

Mais do que questões como o dinheiro necessário e o risco envolvido, a diferença está ligada ao objetivo final que cada pessoa possui e às estratégias adotadas para poder chegar até ele. A variação pode parecer simples, mas é preciso entender o que ela significa em termos práticos.

Poupar e investir não são a mesma coisa

Quando você percebe que as contas estão apertadas e é necessário readequar os gastos, a primeira ação é economizar dinheiro para chegar ao fim do mês com o orçamento em dia. O mesmo acontece quando há, por exemplo, o desejo de comprar um smartphone mais moderno ou fazer uma viagem. Ou seja, você apenas faz ajustes para conseguir administrar as finanças e mantê-las em equilíbrio. 

O investimento, por outro lado, pressupõe que o objetivo seja aumentar o seu capital a partir de aplicações em uma ou mais classes de ativos. Nesse caso, as regras não dependem apenas do seu esforço pessoal, como no caso de poupar, mas também das variações e ofertas do mercado financeiro. 

Para que você compreenda melhor, por exemplo, o lucro pode ocorrer pelo ganho de uma ação que se valorizou ou mesmo a partir do aluguel de um imóvel. Mas a perda, do mesmo modo, também é um risco presente e que exige análise constante das variações.

Estratégias para poupar e investir

Seja na hora de poupar ou investir, ressalto que um dos erros mais comuns é não definir uma meta específica, que dê sentido à economia ou à manutenção do dinheiro em um investimento. Sem ela, em pouco tempo o esforço perde sentido, pois você não sabe qual é o momento exato para parar - ou por qual motivo deveria continuar.

Para conseguir poupar dinheiro você tem apenas duas hipóteses: ganhar mais do que gasta ou gastar menos do que ganha. Assim, algum saldo positivo sobraria de uma dessas situações.

Caso não seja possível ampliar a sua renda, a estratégia deve passar por uma análise detalhada dos gastos. Avalie, por exemplo, quanto precisa ser economizado e durante quanto tempo. 

O ideal é que os cortes ocorram nos itens supérfluos, que podem ser adequados à realidade momentânea. Para investir, também é provável que você precise economizar antes. Afinal, de nada adianta destinar o seu dinheiro para uma aplicação enquanto há dívidas com juros mais altos em aberto. 

A diferença aparece depois, na hora de definir a estratégia de investimento. A renda fixa, por exemplo, oferece mais segurança ao investidor, mas também retornos mais modestos. Já as opções em renda variável, como é o caso das ações, podem render lucros mais significativos. Por outro lado, a incerteza está sempre presente e é necessário conhecimento técnico mais específico para saber a melhor hora de comprar ou vender.

Comece a organizar suas finanças

Se você está em dúvida entre poupar e investir, que tal começar economizando? O primeiro passo é fazer um planejamento financeiro. Temos um treinamento completo (clique aqui) com dicas para você economizar dinheiro todo mês, fazer uma renda extra e criar objetivos para os seus investimentos.

Compartilhar